terça-feira, 30 de março de 2010

A primeira do Sobis no Beira-Rio

Sempre é bom lembrar de bons momentos, ainda mais quando envolvem um cara tão gente boa como o Rafael Sobis, além de tudo um dos protagonistas da conquista da Libertadores de 2006 pelo Inter. Sabe, como assessor de imprensa do Clube, não estamos lá pra fazer amizades com os jogadores, muito menos tietagem. Mas falo com muita propriedade de dois ex-jogadores colorados aqui: Rafael Sobis e Iarley. Duas pessoas sensacionais, acabei ficando amigo destes dois. Impossível não dar nisso.

Bom, saudosismo à parte, elogios de lado, vou publicar aqui agora a primeira matéria que fiz sobre o Rafael Sobis quando ele despontava no Inter. O texto abaixo publicamos num Jornal do Inter em 2005, quando o garoto fazia um excelente Brasileirão. Depois viria a brilhar mais ainda na Libertadores de 2006. Fiz uma coisa diferente aqui no blog, publiquei a matéria aqui com as orientações que o repórter deixa para o editor e para o diagramador saber como montar a reportagem na página do jornal. Espero que curtam! Ah, comentem se gostarem, dando opiniões também sobre o que gostariam de ler aqui no blog. Valeu!

Título de capa: O artilheiro ‘moicano’
Título na página interna: Rafael Sobis: “Quero ganhar o Brasileirão”

Sempre de bem com a vida, com um sorriso permanente estampado no rosto, fazendo gols e nas graças com o torcedor colorado: este é o jovem atacante Rafael Sobis. Revelado pelas categorias de base do Inter, um dos destaques do time vice-líder do Brasileirão, e que já marcou na atual temporada 14 gols*, sendo o artilheiro colorado com nove bolas no fundo das redes do campeonato nacional.
Está certo que o sorriso é metálico, em razão do aparelho de correção dentária, mas também é símbolo da sua juventude, aos 20 anos de idade, e dos cuidados que tem com o corpo. E por falar em juventude, foi numa partida contra o time da serra gaúcha, no Gauchão de 2004, que o atacante acabou sendo pela primeira vez o centro das atenções.

O Inter empatava com o Juventude pelo escore de 2 a 2 e, aos 32 minutos do segundo tempo, o novato Rafael Sobis entrou no lugar do já ídolo Nilmar. O jogador foi decisivo e, três minutos depois, marcou um golaço em um preciso chute de fora da área. A bola acertou o ângulo, dando a vitória ao Inter por 3 a 2 e Sobis estreando como um novo xodó nos corações colorados. “Foi um momento mágico pra mim, fiquei nas nuvens. As coisas acontecem muito rápido, não sabia nem o que dizer pra imprensa durante as entrevistas”, lembrou. “Ainda bem que o presidente (Fernando Carvalho) conseguiu a minha liberação junto à CBF, assim pude estar à disposição para entrar no jogo e marcar aquele gol”, concluiu Rafael, que dias antes havia sido convocado para a seleção brasileira sub-20, porém com o pedido da direção do Inter foi dispensado para jogar o clássico.

Um jovem maduro e diferenciado

Com pai e mãe descendentes de ucranianos e italianos, respectivamente, Sobis conta com o apoio da família na carreira, entretanto não foi sempre assim. “Eles me dão um incentivo importante, mas antigamente a mãe ficava irritada todo dia porque eu só queria saber de jogar futebol. Até ia bem no colégio. Eles me deram (junto dos sete irmãos) uma educação rígida”, reflete o garoto que não quer ser reconhecido só como o jogador famoso e, sim, como pessoa, pelo cara legal que procura ser com todos.
No Beira-Rio, todos elogiam muito Rafael Sobis pela sua dedicação nos treinos, vontade de vencer e aprender cada vez mais. “Ele tem responsabilidade profissional, não se deixa influenciar e sabe filtrar o que não é bom para sua evolução. É um menino aplicado e tem uma consciência excelente”, afirma o coordenador de preparação física do Inter, Élio Carravetta. Companheiro de ataque no time, o centroavante Fernandão resume: “É um garoto com uma maturidade acima da média pra idade. Somos uma dupla afinada dentro e fora do campo. Além de ser amigo, sou fã dele (risos)!”

(colocar uma foto/boneco do Fernandão) “Às vezes, a bola tá viajando, um olha para o outro e já sabe o que fazer”
O camisa 9, Fernandão, falando sobre o entrosamento com o camisa 11, Rafael Sobis

Além de elogiar a disciplina do atacante que nunca se lesionou, Élio Carravetta – com nove anos de serviços prestados ao clube – lembra da humildade do jovem que “cresceu na profissão e continua o mesmo no relacionamento com as pessoas”. O humilde Sobis que após a vitória do Inter por 3 a 0 sobre o Figueirense, no último domingo, quando foi um dos destaques do time, não exitava em relembrar os repórteres que lhe entrevistavam: “É a primeira vez que marco dois gols num jogo e, pra completar, dois de cabeça”, avisava sem ter a vergonha de dizer, pois sabe que está somente no seu segundo ano como profissional e ainda quer mostrar muito mais. “Penso no presente, penso em fazer mais, quem sabe não viro um artilheiro nato. Estou brigando pelo Inter, quero dar um título brasileiro pro meu time”, concluiu o boa-praça Rafael Sobis, ostentando um irreverente corte de cabelo no estilo ‘moicano’.

(num box) Ficha técnica
Nome: Rafael Augusto Sobis
Data de nascimento: 17/06/1985 (tem 20 anos)
Local de nascimento: Erechim RS
Altura: 1m72cm
Peso: 73Kg
Clubes: Internacional (desde 2004 como profissional)

(colocar uma foto/boneco do Guto Ferreira) “O Rafael sempre fez sucesso e foi goleador, desde o juvenil, passando pelos juniores e, hoje, nos profissionais voltou a ser. Mesmo quando não marca gols é importantíssimo taticamente para a equipe, cumprindo um papel incansável dentro de campo, inclusive voltando para marcar. Não é à toa que sempre foi convocado pelas seleções brasileiras de base e joga como titular do Inter há tanto tempo. O garoto ganhou maturidade através do trabalho do Muricy, que deu apoio e continuidade pra ele. O Rafael Sobis é um jogador batalhador, determinado, não se entrega nunca”
Guto Ferreira, coordenador técnico das categorias de base do Inter

Um roqueiro no futebol (usar foto dele na Atlântida)

Fã de Blink 182, Linkin Park, System of a down, U2, Red Hot Chilli Peppers, O Rappa e de bandas de rock gaúchas, o caseiro Rafael Sobis, que assiste filme e ouve bastante música nas horas vagas, também gostaria de tocar bateria numa banda. No meio futebolístico, o atacante é como um oásis no deserto, pois, como ele próprio define, “mais de 90% dos boleiros curtem pagode”. Nas concentrações e viagens sempre carrega junto o discman pra ouvir o seu som preferido: o rock’n roll.
Na última terça-feira (13/09), viveu momentos de ‘popstar’ – em razão da aparência física combinada ao novo penteado já foi comparado ao inglês David Beckham – quando participou do programa Chocolate, na Rádio Atlântida, com os comunicadores L. Potter, Ico Thomaz e Márcio Paz. No estúdio, teve seu pedido musical prontamente atendido, distribuiu autógrafos aos comunicadores e funcionários da emissora, sorteou sua camiseta número onze personalizada, conversou com ouvintes, inclusive com uma fã que sabia tudo sobre sua carreira, desde os tempos mais remotos de Celeiro de Ases, as categorias de base do Inter.

Um comentário:

Dayusa disse...

Adorei o texto ! Espero q o Idolo da nação Colorada volte ! Estaremos de braços abertos para recebe-lo de volta !

Bjs !