quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Rua da Figueira

Sento todo dia na frente de casa
Pra ver o mundo todo bater asas
Já é fim de tarde
As meninas passam
Os cachorros ladram
Os automóveis cercam as quatro
esquinas do cruzamento de minha rua
Não sei o porquê, tô sempre ansioso
Não sei o porquê, meu pensamento é malicioso
Meu tempo de espera por você é precioso

Minha vida sem você é sem graça
O entardecer não passa
O sol bem devagar desaparece
E você não aparece
É a lua quem chega mais uma vez
Pra anunciar que a esperança nunca acaba
Mais uma vez
O meu jardim tem as flores
Minhas companheiras
Mais uma vez
Tô te esperando na Rua da Figueira

(Aleco Mendes)

2 comentários:

Mila disse...

Ai ai aiiii....lindonaaa!!!

Faz uma pro meu momento "tpm-sentimentalóide"?

Bjo manooo

Gisele disse...

Lendo este post consegui viajar pra longe da rua Figueira rsrsrs
Muito linda!!!
Não sabia que tinha essa veia poética hehehe

bjão!