domingo, 31 de janeiro de 2010

Aqueles poetas anônimos

Tem os poetas conhecidos... sou fã do Mario Quintana, Nando Reis, vários compositores... mas também existem os poetas anônimos. E dia desses na mesa de um bar um senhor que vendia seus cartões e poemas pelas ruas boêmias de Porto Alegre me chamou a atenção, pelo ótimo poema escrito por ele. Era um dos que estavam sendo vendidos por valor simbólico naquele momento. Segue o poema do Seu Enio:

Poema de Rua

Se não vieres
Haverá um vazio impreenchível
Vazio eterno de desejos nus
Haverá a dor indescritível dos abortos
Se não vieres
Morrerá parte de mim
A parte que acredita e sonha
Se não vieres
Mesmo assim
Não terei como te tirar de mim

Enio Valcanova Castro

Um comentário:

Enio disse...

Grato pelo delicioso elogio.
Grande abraço!